domingo, 26 de setembro de 2010

Espíritos mortos

 

Abrem-se os túmulos
e de suas profundezas seladas
rasgando as mortalhas
emergem os espíritos mortos

Furtando-se à vaga escuridão
dos eternos sonhos errantes
voltam do silêncio do sepulcro
e sem lugar onde repousar
vagueiam de candeias acesas
na noite parda da nossa memória



poema escrito em 1988-03-15
Post views: counter

2 comentários:

Maria Luisa Adães disse...

Obrigada por se adicionar e criar uma ligação espiritual e virtual.

Eu vejo os espíritos vivos
a acompanhar o corpo morto!

E depois de deitado na escuridão da noite
o espirito deixa esse corpo
e segue a luz que se aproxima
num outro plano, numa outra visão.

Mas gostei do que escreveu e muito...
Aceite, por favor a minha visão!

Maria Luísa

Mallika disse...

Lindos poemas como sempre. Parabéns.

Enviar um comentário

Obrigado pela visita. Se puderes, deixa uma mensagem.

Abraço. Volta sempre.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...