domingo, 30 de outubro de 2016

O circo está de partida


chegou a hora do circo partir
apagam-se todas as luzes
enrola-se a tenda grande
a magia está de novo suspensa

o domador recolhe as feras
o palhaço desfaz a maquilhagem
os sonhos da bailarina adormecem
nos braços do ilusionista

o dono do circo faz o último balanço
projeta num trapézio sem rede
as luzes da próxima cidade
o clamor das multidões adiadas

os veículos põem-se em marcha
a caravana parte em silêncio
e o que fica para trás é só poeira
ninguém se veio despedir

o resto da noite
é devorado pela vertigem do asfalto

____________________________________
Post views: counter

3 comentários:

Reinadi Sampaio disse...

Runa, oi,
teu poema, tal qual, a figura alegórica do palhaço, traz em si, algo de sublimidade, que nos encanta e nos aproxima dos nossos sonhos.
Abraço-te.
Flor

Unknown disse...

Matando a sds daqui..Estou reativando meu blog..

Um abraço de Sol

namastibet disse...

tens de voltar (fazes falta no luso)

Enviar um comentário

Obrigado pela visita. Se puderes, deixa uma mensagem.

Abraço. Volta sempre.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...