terça-feira, 14 de junho de 2011

Nas teias da luz *


Com um beijo selas-me a boca
e me impedes de respirar.
Nada faço para me libertar desse feitiço
e, de bruços, deixo-me afogar
na ondulação morna dos teus lábios.

Com um sorriso perfuras-me o olhar
e me impedes de contemplar as estrelas.
Aceito essa cegueira súbita
mesmo sabendo que jamais voltarei a ver.

Com um suspiro rasgas-me o peito
e devassas todo o meu interior,
mas já nada importa, agora
que o leque aberto do teu corpo
me promete a libertação de todos os medos
e uma nova lâmpada se acende
na bruma desfeita dos meus sonhos solitários.



* Dedicado à amiga Célia do blog http://passosdailha.blogspot.com/
   por reclamar mais luz nos meus versos. 
   Não sei se cheguei lá, mas, pelo menos, acendi uma lâmpada...

___________________________________________________
Post views: counter

23 comentários:

MARILENE disse...

Não acendeu apenas uma lâmpada, iluminou todos os espaços com esse poema lindo. Quanta harmonia sessa entraga silenciada pelo beijo.

Bjs.

Letícia Campos disse...

Lindo poema, feitiço de amor, que cega, beijos que afogam, sim isso descreve perfeitamente o que sinto, adorei

Marly Bastos in "palavreados ao vento" disse...

Nossa Runa, esse ficou demais.
Os outros são profundos, todavia realmente obscuros e tristes.
Esse ficou apaixonante e sensual.
Parabéns pela claridade. Fiat lux!
Beijos

CF disse...

Amigo Runa
Devo dizer que iluminaste tudo...além de me teres envaidecido com tal dedicatória. Foi até emocionante...lol
Sem querer ser lamechas, estes gestos significam muito para mim! Além disso admiro a tua coragem e "ousadia" em enveredares por um registo que, normalmente, não é o teu...respondeste a um pedido meu, mas lá no fundo creio que tb sentiste essa necessidade. Quando escrevemos, algo de nós fica nas palavras, mas as palavras tb ficam em nós e isso pode ser um começo para as próximas candeias que acendas...lol
Adorei o texto...é sensual, invulgar, original e liberta-nos a imaginação!
Deves continuar...tens o dom de fazer as palavras ecoarem dentro de nós...costumo ficar com alguma tristeza ao ler os teus textos, mas estes têm outras potencialidades...muito maiores!
Muito obrigada pelo texto
Adorei!
bjs

cleide disse...

Iluminados versos, Runa, linda claridade tomando os espaços. Beijo em seu coração, poeta.

Mel de Carvalho disse...

A luz. Tão necessária na e à vida.
Runa, leio muitas vezes sem comentar. Hoje impõe-se dizer que o que escreve é, aos meus olhos, claridade, ainda que o seu registo surja algo sombrio. Mas, como dizia Cecília Meireles, "não sou alegre nem triste, sou poeta". É o seu caso.

Fraterno abraço
Mel

Sandra disse...

E Vês como resultou?
Também já várias vezes te disse que sinto muita nostalgia e amargura nos teus poemas, talvez seja isso que lhes confere tamanha beleza. Mas sabe bem sentir o calor da tua lampâda ( isto soa um bocadinho mal, não é??? lol)
E a Célia merece sem dúvida tal dedicatória :))

♥♥♥Ani♥♥♥ - Cristal disse...

Olá querido amigo Runa,

Sabes que sou uma apreciadora incondicional das tuas poesias, mas essa achei incrível, linda....
Acendeu uma lâmpada que ficara eternamente iluminando minhas memórias.
Linda, linda, linda.....

Grande beijo pra você...
Ani

M. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
M. disse...

A fonte da inspiração facilita a coisa...


Vou sair devagar...não quero perturbar a sensação com que fiquei ao ler:)

Álvaro Lins disse...

OxalÁ A "lâmpada" seja de "baixo consumo":)
Com essa luz toda:)
Abraço

mfc disse...

Lindo e sensualíssimo!

Vera Lúcia Duarte disse...

Oi Runa,
Poema apaixonante! Amei e confesso também que os dois últimos me tocaram mais, embora aprecie sempre os seus ecritos.
Abraço.

Simone Audrei disse...

Olá Runa! Dá uma passadinha no meu blog, tem um selinho "prêmio sunshine award" pra você.
Abraço

CF disse...

Olá outra vez
Não pude deixar de vir deliciar-me com o teu texto, de novo...chega a ser enternecedor...uma outra faceta dele! E creio que do seu autor :)
abraço

FlorAlpina disse...

Olá Runa,
Gostei do brilho que esta lâmpada esparge!

Bjs dos Alpes

Solange disse...

teus poemas me encantam..

bjs.Sol

Mara disse...

Boa noite!
Passando para apreciar tuas composições poéticas e te desejar um ótimo final de semana.
Beijo,
Mara

Anónimo disse...

E aluz se fez tremendamente bela!


P.S. Em alguns blogs, só estou conseguindo comentar como anônimo. Não sei por quê.

www.valsoaressilva.blogspot.com

marlene edir severino disse...

Runa,

Externa e temporária a cegueira,
internas,
todas as luzes acesas!

Abraço!

Marlene

CF disse...

Olá Runa
Espero que não estejas sem inspiração...lolol
Deixa-te levar pelo feitiço de palavras semelhantes a este texto..nada te impele :)
Vim desejar-te um bom fim de semana
Fica bem
Abraço

BORBOLETA POETA disse...

Não sei se a bela inspiração do Poeta acende só uma luz, porque a sua poesia me passa a sensação de um farol de milha aclarando a paixão longamente sufocada, ao tempo que desnuda o seu desejo...
Parabéns caro Runa, pelas palavras que tão bem se encaixam na sensualidade do teu poema.
Beijo.

Anónimo disse...

Este é belíssimo, andei lendo e não resisti de te dizer que adorei este.

Fica feliz
rosafogo

Enviar um comentário

Obrigado pela visita. Se puderes, deixa uma mensagem.

Abraço. Volta sempre.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...