domingo, 12 de dezembro de 2010

Ubiquidade



Podias ter vindo hoje,
como quem chega de longe,
rompendo o silêncio da manhã
num voo de velas desfraldadas
ou num canto súbito de rouxinol
anunciando a primavera.

Podias não ter vindo hoje,
perdida numa maré de nevoeiro,
sem encontrar o caminho,
deixando-me preso à margem deserta
de um rio de águas estagnadas
como um barco sem rumo.

Podias ou não ter vindo hoje,
encher meu dia de luz ou sombra,
que não impedirias a noite de cair
nem o vento de bater nas janelas
ou que os cães latissem à lua
incapazes de compreender o futuro.

O que te queria mesmo dizer,
tivesses ou não ter vindo hoje,
é que sempre estarás dentro de mim,
mesmo nos dias em que nunca vens.


poema escrito em 2010-12-11

Post views: counter

12 comentários:

Malu disse...

Runa,

Mais que bela , linda e viva
é a sua poesia ...


"O que te queria mesmo dizer,
tivesses ou não ter vindo hoje,
é que sempre estarás dentro de mim,
mesmo nos dias em que nunca vens."


Que um dia alguém me diga isso ... :)


Bjo.


PS:
Obrigada pelo carinho de suas palavras.

Malu disse...

Em Tempo:


Gostaria de te ofertar um selinho ,
o de Escritores Virtuais.
Se encontra em minha página de Selinhos.
É só pegar , não tem regras à cumprir ,
sou rebelde nesse quesito, ...Rsrs.

Eduarda disse...

Runa,

As tuas palavras vão além do tudo.

da ausência esta dualidade que só existe em quem sente o amor.

bj

Malu disse...

Runa,

Obrigada !
Adorei o selinho , muito bonito ... :)

Tô indo postar.



BjO Grande .

Lídia Borges disse...

Obrigada por me ter proporcionado a oportunidade de encontrar este recanto onde a poesia prende e encanta.
Gostei deste poema em que a ausência não extingue a chama do amor.

L.B.

Daniele Dallavecchia disse...

Amigo Runa, sinto saudades de te ver no luso! Teu poema está tão lindo! Ainda não conhecia este teu lado mais doce, mais sentimental. Gostei muito do que li!

beijos e uma linda semana!

Reinadi Sampaio disse...

Como sempre tua poesia emociona-me por tanto mistério e tanta beleza.

Flor.

Alberto Moreira Ferreira disse...

Runa,

omnipresença do amor

está mesmo não estando

abraço

FlorAlpina disse...

Olá Runa,

Perdi-me nas palavras de nevoeiro...
Na margem do caminho...

Gostei imenso!

Bjs dos Alpes

Cris de Souza disse...

agora me surpreendeu...

é o tempo da sutileza!

beijo, querido.

Karinna* disse...

*E de possibilidades e impossibilidades a vida se faz, contudo o que está no coração, aquilo que é a nossa verdade, isso permanece.
Belo!
Beijo-te com asmiração
Karinna*

Natalia Nuno disse...

Oerdi-me aqui neste teu espaço, lendo tua poesia, cada uma mais bela que a outra, belíssima poesia meu amigo, virei mais vezes
para ter o prazer de te ler.

Hoeje venho especialmente para te desejar um BOM NATAL junto dos teus, com muita saúde e muito amor.

Um beijo da amiga que te admira e estima
rosafogo
natalia nuno

Enviar um comentário

Obrigado pela visita. Se puderes, deixa uma mensagem.

Abraço. Volta sempre.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...