domingo, 18 de setembro de 2011

O direito de chorar em público


Um primitivo e cruel mito
vedou a todos os homens
o direito de chorar em público

Quando o fazem
é sempre em profundo silêncio
num canto escuro da noite
numa cela solitária e fria
rodeada de sombrias abóbadas
como uma esfinge exilada
num vazio de areias hostis

Ninguém lhes ensinou
como expulsar os sentimentos
que cercam o coração ferido
quando o rosto se liberta
da máscara insensível da cal
e uma fonte oculta verte
as águas de um caudal reprimido

Sua dor é maior ainda
por não terem com quem dividir
o esplendor das lágrimas caídas
 

________________________________________________
Post views: counter

16 comentários:

Flor de Jasmim disse...

Runa meu amigo
Forte teu poema e triste!!! É amigo quando nos tiram a liberdade existe tristeza e revolta.
Sabes em tempos eu fui nada mais que uma lágrima que não tinha um ombro onde poisar.
Beijo com carinho

Anna Amorim disse...

Poeta,

Os mitos que limitam sermos.
LINDO poema. Este tema me toca particularmente.
Apesar de menina, me foi vedado chorar, ainda q na presença dos meus pais e ainda que sentisse dor.
Não conseguiam lidar com choro de uma criança.

Beijos e um domingo pleno de inspirações,

Anna Amorim

mfc disse...

Não me inibo de o fazer!
Mas sei da dificuldade que muitos têm... e que aumenta a sua dor!

Reinadi Sampaio disse...

Maravilhoso momento da tua inspiração.

‘Sua dor é maior ainda
por não terem com quem dividir
o esplendor das lágrimas caídas’

Mas, reportando ao ‘canto do bandoleiro’,
em “Transpiração “
Ele pergunta :
“A inspiração vem de onde?
“De onde?”
E ele mesmo responde em um cantar belíssimo:
“[...] Das entrelinhas de um livro
Da morte de um ser vivo
Das veias de um coração
Vem de um gesto preciso
Vem de um amor vem do riso
Vem por alguma razão
Vem pelo sim pelo não
Vem por uma gaivota
Vem pelos bichos da mata
Vem lá do céu vem do chão
Vem da medida exata
Vêm dentro da tua carta
Vem do Azerbadjão
Vem pela transpiração
Vem da tristeza, alegria.
Do canto da cotovia
Vem do luar do sertão
Vem de uma noite fria
Vem olha só quem diria
Vem pelo raio e trovão[...]”

Esqueceram de dizer, que também, a inspiração, vem da crueldade de alguns mitos...
Aplausos aos teus versos e um grande abraço fraterno.
Flor.

marlene edir severino disse...

E nesse desamparo
em lugar de lágrimas
podem brotar palavras...

Abraço daqui!

Maria Emilia Moreira disse...

Caro Poeta!
A poesia não é só fantasia.Muitas vezes ela "nasce" de situações bem concretas que amarguram os nossos dias. E,eis que surge um belíssimo poema!

Mara Melinni disse...

Chorar é a demonstração mais pura da condição humana... traz alívio para a alma.

Lindas palavras!

Ótimo fds! abraços

rosa-branca disse...

Olá meu amigo, ás vezes se bebem as lágrimas. Eu já as bebi muitas vezes e estou-me nas tintas para quem gosta ou não. Todos temos o direito de rir ou chorar quando nos apetece. Moro perto do mar(que adoro) e já tenho chorado ao pé dele...ele nunca se queixou do meu sal...amei o teu poema. Beijos com carinho

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Runa.Quanta beleza e verdade que os meus olhos leram,e o meu coração sentiu!
O choro, quer seja ele alegre ou triste, não é nenhum ato vergonhoso para o homem expressar.
O ser humano é dotado da mais pura sensibilidade, e o homem, ainda bem, não está isento à ela.
Portanto, sou totalmente favorável que os homens espressem seus sentimentos, seja por um amor mal resolvido, ou por qualquer outra dor.
As lágrimas são purificadoras, e sentí-las, um alívio para a alma.
A fortaleza de um homem não consiste em não demonstrar as suas mais puras emoções, ao contrário, ela se manifesta exatamente por isso, pois ele se entrega à condição de humano, não importando-se com padrões que a sociedade infelizmente impôs!
Belíssimo, talentoso e sensível poema.
Clamo aos homens que chorem, que exteriorizem seus sentimentos, quer sendo com uma emoção feliz, ou puramente saudosa!
Parabéns!
Um beijo grande, com lágrimas de emoção!
Fique com Deus!

helio.rocca disse...

Muito bom este poema amigo, solidão, realidade e tristeza. Parabéns!

Mara disse...

Boa noite, Runa!
Gosto da forma como escreves....
...
Sua dor é maior ainda
por não terem com quem dividir
o esplendor das lágrimas caídas.

Lindo!
Beijo,
Mara

CF disse...

Às Lágrimas devem-se dar vazão qd temem em correr...é uma forma de nos sentirmos mais leves e preparar-nos para uma próxima torrente delas...:)
Abraço

♥♥♥Ani♥♥♥ - Cristal disse...

Passando para deixar um beijo e desejar que o seu final de semana seja cheio de grandes realizações.

Ani

MARILENE disse...

Valores arcaicos que a vida está a suprimir. Sofrimento causado pelos próprios pais, que passam aos filhos uma educação que não os prepara para a verdade, para a necessidade de mostrar seus sentimentos, que nada têm de vergonhosos.
Bjs.

FÊNIX CRUZ disse...

Há de se derrubar esse preconceito: os sentimentos humanos são tão valiosos que uma lágrima pode curar um coração e, por que não, salvar uma vida da solidão?

Beijos, amigo.

Zilani Célia disse...

Oi Runa!
Estou te seguindo,entrei neste texto porque tenho um que se refere a mesma coisa,"homens não choram" só que dei uma entonação de humor,o teu está muito bonito.
http://zilanicelia.blogspot.com/
/www.recantodasletras.com.br/autores/zilanicelia
Abrçs

Enviar um comentário

Obrigado pela visita. Se puderes, deixa uma mensagem.

Abraço. Volta sempre.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...