domingo, 23 de março de 2014

Um nome que atravessa toda a eternidade


O anjo da revelação chega ao entardecer
com um livro fechado debaixo do braço.
Uma sebenta de capa negra e gasta
onde se encerra o clamor dos desertos.
Todas as palavras que Deus sussurrou
na sarça ardente de uma voz sem rosto.

O anjo da revelação traz o frio nos lábios
e grita para as profundezas de um poço
a metáfora azul da separação das águas.
E com a cor do sangue que há de ser vertido
risca na brancura imaculada da pedra
um nome que atravessa toda a eternidade.

______________________________________
Post views: counter

4 comentários:

Flor de Jasmim disse...

Profundo Runa! Amei, simplesmente.
Boa semana meu amigo

beijinho e uma flor

Passarinho de primavera disse...

Runa, teu poema, um poema que emerge do teu eu mais profundo e revela o Verbo, em plena Natureza, que através da chama ardente da sarça conduz a todos para o caminho da libertação.


Rô... disse...

oi Runa,

a força de um nome
que para sempre está tatuado na pedra branca
e em nossos corações...

beijinhos

Anónimo disse...

Tão triste a história deste anjo.
Vertidas lágrimas de sangue, esquecidas, sem eternidade.
Pelo menos é desta forma que eu leio o seu poema.
Bem escrito. Tristemente.

Enviar um comentário

Obrigado pela visita. Se puderes, deixa uma mensagem.

Abraço. Volta sempre.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...