quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Alfabetos de fumo


O poeta não é a estrela da manhã
espargindo luz sobre o mundo
nem o mensageiro branco
que cruza os caminhos do pó e da insónia
carregando a boa nova.
Não é o messias apregoado
que navega desertos de perdição
com o facho aceso de todos os milagres
para exorcizar as dores do mundo.
O poeta não veio para salvar ninguém.
É feito do barro que coseu em lume brando
no suor ofegante das fornalhas
onde se molda a litania dos ossos
que rangem por dentro da noite
e do cristal de errantes sonhos
a desenhar na cal baça dos muros
a rima imperfeita de todos os destinos.
O poeta traz no soluço exaltado
a revolta de uma cegueira de sílabas
a abraçar chicotes de ventania
e um tambor de tinta a martelar metáforas
e a dar forma de lágrima
ao sal resignado das palavras
que lhe rebentam entre a espuma das mãos
na luz mortiça dos candeeiros de quarto
onde todas as sombras se congregam
desenhando o sobressalto dos sentidos
acantonados num enredo de raízes.
O poeta busca na métrica sinuosa do silêncio
as palavras que não nasceram ainda,
a alquimia secreta e efémera do verbo
a exorcizar uma agonia de asas trémulas.
Num minucioso ofício de redenção
mergulha na luz oculta dos labirintos
carregando sobre os ombros vergados
um remoinho de existências vencidas
e a caligrafia de uma febre sobressaltada
embutida na miragem fugaz do poema.
O poeta não se deslumbra com as jóias falsas
de uma quimera fabricada no plástico dos moldes
nem com o excesso de luz que desagua
na errância dos caminhos que vestem
o júbilo amordaçado de lúgubres claustros.
Sobre o fundo negro das tormentas
liberta da solidão ofegante das ardósias
a luz dos gritos incontidos
e tudo aquilo que espera para ser dito
no traço hesitante do giz
que sulca o nervo inquieto do verso
cerzindo com o cinzel encrespado dos dedos
a canção dolente das cinzas
nos proscritos alfabetos do fumo.
_____________________________________________
Post views: counter

11 comentários:

Anónimo disse...

O poeta pode não ser tudo isso, mas pode ser o "mar" que traz a vida nas ondas e de um azul infinito.

OutrosEncantos disse...

acredito que o poeta é principalmente isso tudo sim, mas pode também ser a estrela da manhã.

fabuloso o teu poema.
beijo.

mfc disse...

O Poeta é também aquele que nos faz sonhar...!

Helen De Rose disse...

Lindo e simbólico poema, a imagem completa o momento.

Flor de Jasmim disse...

Runa meu amigo
O poeta é tudo isso e muito mais, ele muitas das vezes faz-me sentir nas suas palavras como se minhas fossem, apenas não as sei transmitir.
Beijo bom fim de semana

Reinadi Sampaio disse...

És tu tudo isso sim POETA e, muito mais.
Um POETA é tudo que ele deseja ser...
Num rebolar de emoções
Cavalgando dentro do peito
Com todas as memorias vivas
Pulsando em todo seu SER
E lutando desenfreadamente contra o cotidiano da vida
Vivendo a ânsia real e sentida em tudo que diz,
Pois, é verdade que quanto maior é a nau maior é a tormenta...
E as palavras se esgotam...
Pela verdadeira dimensão
Esgotam-se porque serão sempre poucas
Serão sempre reduzidas para expressar o que é ser POETA!
E tu, o sabes ser plenamente POETA neste momento em "Alfabetos de fumo"!
Um grande abraço na tua Alma de POETA!
Flor.

Reinadi Sampaio disse...

Oi,
retornei para comentar da imagem: belíssima!
Flores entre as mãos do POETA!Um abraço.
Inté.
Flor.

♥♥♥Ani♥♥♥ disse...

Bom dia Runa


Que lindo poema...
O poeta é você querido, que sempre mostra seu lado mais bonito e nos deixa cheio de pensamentos com suas lindas palavras.

Beijos e uma ótima semana
Ani

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Runa. Você conseguiu captar a essência do que é ser poeta, pois você é um.
Você escreve de uma forma extraordinária e com muita verdade nos seus versos tão profundos e reflexivos. Você é talento puro.
Excelente o seu poema, cada verso penetrante, cada alma rasgada, cada emoção passada com fervor.
Parabéns!
Excelente semana, e fique com Deus.
Beijo na alma.

CÉU ROSÁRIO disse...

o ✿⊱╮.˚ ˚✰˚ ˛★* ˚ ˚✰˚ ˛★*。 ღ˛° *
Um Feliz Natal e Um Ano Novo Magnífico!
A todos os Amigos do Toque de Midas, o meu
eterno agradecimento pelo vosso carinho e amizade.


Volto breve, a partir de Janeiro estarei por aqui
a visitar todos os que muito estimo


Bom Ano 2012


Abraços

lobices disse...

"...quis ser um poeta que tivesse asas... e poesia em cada voo... quis ser um poeta cujas palavras vos enchesse a casa... e que vos reencontrasse em cada dor... quis ser um poeta que fosse fogo e água e sol e terra... e que com todos esses elementos criasse um novo ser... mas há poetas que são simplesmente poetas... há poetas que ainda nem sabem que o são... há poetas... imensos... tentei um dia ser um desses poetas... e sei hoje que um poeta nunca morre... faz-se em vida mesmo na morte, soltam as asas e levam-vos o vento... protegem-vos e fazem-se ao caminho convosco... peregrinam em vós... que com ele caminhais... bebeis o sorriso dos poetas... vedes pelos seus olhos, e por detrás desses olhos, uma alma que brilha e ilumina cada recanto escuro da vossa própria alma... e é em dias de negro e frio que mais precisais dos poetas... porque eles são fonte, força e semente... um poeta nunca mente... ele, o poeta, é a vossa armadura, a vossa madrugada e o fim de tarde... a vossa lua nova ou lua cheia... são perenes todos os poetas... nascem e renascem... mesmo sem nunca morrerem... nada destrói um poeta, nem a voz nem o sentir... quis ser um desses poetas que tivesse asas e poesia em cada voo... podemos ser usados, abusados, até como lixo abandonados, enegrecidos e deturpados... simplesmente somos quem somos ... podemos ser retalhados, citados e aviltados... podemos ser usados como arma de arremesso... podemos ser teorizados e complicados... podemos ser mistificados e cristalizados... podemos até servir de pasto em chamas inquisitoriais... não somos orações, nem homilias nem credos... e não nos deixamos cair... não somos ameaça do fim do mundo... não somos propriedade de ninguém... não somos espada nem guilhotina... não cabemos na pena nem no ódio de quem de nós se apropria... somos apenas poetas... somos simplesmente imensos... não cabemos em nenhuma semana nem em qualquer dia... somos de todos os tempos... não nos deixamos aprisionar por nenhuma alma negra... somos apenas asas... não somos anjos... somos apenas amor e amamos... e se agora sei, como tão bem sei, que as palavras vos podem fazem voar, que às vezes vos levam para lá do mar, em asas de vento, de dor e de amor... sei também, como sabem todos, que não há palavras nem versos, nem poesias que cheguem para transformar um poeta num anjo..."

Enviar um comentário

Obrigado pela visita. Se puderes, deixa uma mensagem.

Abraço. Volta sempre.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...